Fumblegame II Parte 1 – A aventura continua!

By
Updated: December 28, 2014
Lambeau Field

GENTLEMEN, WARM YOUR BODY!

Frio. Longe. Enlouquecedor! Estar no Lambeau Field (principalmente sendo torcedor dos Packers) é tudo isso e muito mais. 

Quando decidi ir à Green Bay, não imaginava o perrengue que seria chegar lá. Mas eis que no fim das contas foi uma das melhores viagens de minha vida.

A primeira coisa que fiz foi comprar o Ingresso via NFL Ticket Exchange (já indicamos como fazer no primeiro Fumblegame ), já que em Green Bay a lotação  está esgotada para anos à frente. Porém, como vi que chegar lá era caro e/ou demorado, quase me arrependi. Fica a dica amigos: Caso você não tenha o “Seguro Social” (Social Security, que é o CPF americano com foto), você não pode revender seu ingresso em caso de arrependimento, por isso, fiquem ligados. 

Ao saber disso, abracei a missão e comecei a planejar o meio menos dolorido possível ($) para chegar na terra do Queijo e da Cerveja. Para chegar em Green Bay, você pode fazer de duas formas (tem mais, mas abstraiam):

  • Voo para Green Bay;
  • Voo para Milwaukee e dar um jeito de chegar lá via terrestre.  

O problema do voo para Green Bay é que para lá só voam empresas saindo de Minneapolis ou de Chicago (acho que Detroit também, mas abstraiam). Como a maioria dos voos partindo do Brasil vão para Miami, Atlanta ou NY, eu acrescentaria mais uma escala em minha viagem, chegando ao ponto de ficar mais de 24 horas voando, além dos horários dos voos não serem bons. Não dava. Sem contar que teria que me hospedar em Green Bay (o que graças a deus eu não fiz). O voo para Green Bay é BEM mais caro. Hospedagem em Green Bay é pior ainda ($$$$$). E a cidade não tem NADA! Então sendo assim, escolhi Milwaukee (MKE) como meu acampamento-base.

START YOUR ENGINES!

Milwaukee

Milwaukee

Comprei meu voo na Delta (LGA – MKE – LGA). Fiquem atentos ao seguinte: em voos domésticos você deve pagar todas as bagagens despachadas (caso voe de classe econômica). Dependendo da situação (meu caso), sairá mais barato pegar a 1a classe (mais ou menos 1a classe) e ganhar o despacho de malas até duas malas grandes “di grátis”. Os voos partem regularmente de La Guardia (LGA) e foi tudo sem problemas. 

Sobre a hospedagem, procurei e reservei um hotel da rede Marriott, que é excelente e vou recomendar: Residence Inn by Marriott Milwaukee Downtown. Quartos espaçosos, mobiliados com GELADEIRA (não é frigobar), microondas, fogão, pratos e talheres, lava-louça, enfim, uma residência. Vale destacar que o staff é atencioso e o melhor: bem localizado e com preço muito justo. E vale acrescentar as várias opções de fast-food e restaurantes próximos como o Mo’s A Place for Steak. Ambiente romântico e aconchegante… E caro… Mas só se vive uma vez, então, deixem algumas doletas por lá!

Com isso acertado, cheguei ao meu maior dilema : eu não dirijo. Sim senhores, eu burro velho, cidadão do mundo e ainda não sei dirigir, apesar de ter jogado muito GTA e Forza. Mas não tive dificuldades para resolver isso: encontrei uma agência de viagens receptiva de Milwaukee que faz o serviço de frota de ônibus (e outros veículos) especiais para eventos: Go Lamers. Por US$ 60, fomos e voltamos de Green Bay (que é looonge) e ainda tivemos direito ao ingresso da Tailgate Party, no estacionamento do Brett Favre’s Steakhouse. Confiáveis e ambiente familiar no ônibus. Recomendo. E outra, você pode deixar (por sua conta e risco) seus pertences no ônibus, já que a política da NFL é paranóica. Não deixem nada de valor, somente garrafas d’água e alguns lanches. Só mais um adendo sobre a Go Lamers: os ônibus são equipados com roteadores Wi-Fi. Conexões relativamente decentes.

 

Bem galera, por enquanto é isso. Estarei continuando este Post mais à frente, falando de como foi o Game Day e uma pincelada sobre Milwaukee e Green Bay.

Não percam a nova série: Fumblegame II no Fumblegame!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *